Segunda-feira, 21 de Março de 2005

Hiper Venda de Medicamentos

imagem hipermercado.jpg
A uma, muito significativa, franja de portugueses, parece não ter agradado a forma ligeira como decorreu a mais recente campanha eleitoral, mascarada de luz e de cor, diria mesmo, num tom carnavalesco. Desmotivados e algo confusos, dada a falta de coerência, profundidade ou rigor nas propostas, os portugueses são agora confrontados com uma nova vertente....a Originalidade das propostas apresentadas pelo novo Primeiro Ministro, Eng. José Sócrates, sobretudo num discurso de Estado, voltado para as grandes questões políticas que importam ao país e nas quais se deveriam centrar as atenções. Aqui, e proclamando que não existiriam quaisquer boas razões para a venda de medicamentos não sujeitos a receita médica (e não de “venda livre” como muitos apregoam) única e exclusivamente nas farmácias, o Eng. José Sócrates, conseguiu, com uma intenção de cariz claramente político e de uma só assentada, ceder á tentação de servir os grandes lobbys económicos deste país e por outro lado criar um fait divers suportado por uma intenção leviana, pautada por um discurso agressivo e com forte cheiro de vingança, seguramente incutido por alguém que em tempos escreveu “..nem tão pouco tinha a intenção de criar farmácias em supermercados ou de liberalizar a venda de medicamentos não prescritos”; “...por entender ser uma guerra secundária, que desgastaria o Ministério sem grandes vantagens para a população, a qual se sente relativamente bem servida pelas actuais farmácias”.
Sr. Engenheiro, isto não é uma verdadeira política do medicamento!!
A dita medida suscita desde já várias questões. Pergunta-se então: é esta a medida pela qual verdadeiramente os portugueses ansiavam? Quais as suas mais valias efectivas? Não será mais preocupante as horas e horas, dias e dias, meses e meses pela qual se espera por uma consulta num Centro de Saúde ( em média 27 dias de espera pela consulta e, quando no próprio dia, o utente tem de esperar hora e meia além da hora marcada, segundo estudo do Centro de Estudos de Investigação em Saúde da universidade de Coimbra)? E acesso aos Cuidados Continuados e o combate às listas de espera cirúrgicas, etc. etc.?
Saberá o Sr. Engenheiro José Sócrates e o seu ministro, o que é o Ácido Acetil Salicílico? Quais os seus possíveis efeitos secundários, por exemplo, em asmáticos, em doentes com úlceras pépticas, grávidas ou em crianças? Deixo-lhe uma pista, não é nenhum componente do café, da batata ou do arroz que frequentemente compramos nos hipermercados.
Se não me admira a postura da Ordem dos Médicos (que não é certamente totalmente representativa da classe) já a da DECO me surpreendeu. Defende este organismo a melhoria da acessibilidade ( até nos postos de gasolina apesar do ridículo da situação) e a comodidade dos utentes e não estão preocupados com o aumento do consumo de medicamentos nem com o aumento de casos clínicos e consequentes internamentos hospitalares? Então para quê correrem a alertar para a necessidade de existirem fortes campanhas de informação e sensibilização? Será para se gastarem mais alguns milhões de euros? E para esclarecer a questão em torno da acessibilidade ao medicamento, pergunto: quem está aberto 24 sobre 24 horas, 365 dias por ano, uma Farmácia ou um Hipermercado?
Já agora e para terminar, pergunto ainda: se o argumento da defesa da Saúde Pública não é válido para qualquer um destes apoiantes da medida, porque é que todos defendem a necessidade da dispensa dos ditos medicamentos ser supervisionada por um especialista do medicamento, vulgo farmacêutico, fora das farmácias? Estarão com receio de serem consumidas, por exemplo, “pílulas do dia seguinte” (medicamento não sujeito a receita médica em duas das suas apresentações) de forma desregrada, sem qualquer orientação técnica, com consequente aumento de doenças vasculares fruto da sua grande concentração de estrogéneos?



Mário Peixoto
mariopeixoto@mail.pt
http://saudeminho.blogs.sapo.pt
publicado por Mário Peixoto às 12:56
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. De costas voltadas....

. Com ou 100

. O poder do Blush

. Construir a Casa pelo Tel...

. O Enterro da Beata

. Promessas escritas...

. Banco Local de Voluntaria...

. Em nome da verdade

. Socorro

. O Ministro da Saúde e a a...

.arquivos

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds